<$BlogRSDUrl$>

Monday, October 27, 2003

27 Outubro 1918 - Captn William Barker 

A 15 dias do final da Grande Guerra, o Capitão William Barker era um dos maiores ases Aliados. Natural do Canada, Barker, de apenas 24 anos, aviador desde 1916, tendo sido piloto de aviões de reconhecimento em França durante 1916 e 1917, onde foi ferido. Em finais de 1917 tornou-se piloto de caça no Squadron nº 66 onde pilotava o famoso caça Camel. No entanto antes do final do ano a esquadrilha foi transferida da França para Itália, onde iriam ajudar a força áerea italiana contra os Austro-Hungaros.
Foi nesse teatro de guerra que Barker se tornou um dos maiores ases da guerra. Tomou o comando da sua esquadrilha e ate setembro de 1918 obteve cerca de 50 vitorias sobre a aviação Autro-Hungara, entre eles um dos seus maiores ases Oberleutnant Frank Lincke-Crawford.
Assim em inicios de Outubro, Barker tinha 50 vitórias, todas elas conseguidas no mesmo avião. De facto o seu Camel, foi o avião que mais vitórias conseguiu em combate em toda a guerra e ainda hoje se encontra exposto num museu em inglaterra.
Barker terminou assim a sua comissão de serviço e foi designado como instrutor. Mas Achando que necessitava de se exercitar nas tácticas de combate da frente Oeste decidiu colocar-se uma semana no Squadron nº201 em frança. Esta unidade operava o sucessor do Camel, o Snipe, e Barker começou a voarpatrulhas regulares com a esquadrilha durante o mês de Outubro.
A guerra estava no fim e a superioridade aérea aliada era imensa. Assim os alemães raramente se aventuravam sobre a frente de combate a não ser agrupados em grande numero. Por conseguinte, Barker, durante todo o tempo que lá esteve não encontrou um unico avião inimigo.
No dia 27 de Outubro de 1918, Barker preparava-se para a sua ultima patrulha da guerra, antes de regressar á inglaterra para se tornar instrutor.
Partiu sozinho no seu Snipe. Eram 7 da manhã e Barker procurava ansiosamente algum avião inimigo que pudesse abater como despedida.
Finalmente encontrou um avião inimigo de observação, o qual atacou e abateu em chamas. Enquanto observava a sua vítima a cair foi atacado por um caça inimigo e foi ferido numa perna. Barker manobrou rapidamente o seu Snipe e abateu o avião alemão. Foi entao que se apercebeu que estava a ser atacado por uma formação de cerca de 60 caças inimigos.
Os tiros vinham de todas as direcções e Barker foi ferido varias vezes. Em desespero e em grandes dores, Barker manobrou o seu agil aparelho disparando sempre e conseguiu danificar seriamente dois Fokkers que caíram fora de controle.
Barker perdeu entao a consciencia e o seu avião caíu sem controle até que o ar frio o reanimou e conseguiu retomar o controle. Os alemães começaram a guardar prudente distância até que um deles atacou Barker isolado e novamente atingiu Barker, mas este respondeu ao fogo, e o Fokker perdeu uma asa e caíu.
Barker estava agora gravemente ferido. Um dos seus ombros estava desfeito, e ambas as pernas estavam crivadas de balas. Barker tentou dirigir o seu avião para as linhas inglesas em grande esforço, sempre atacado pelos aviões inimigos até que o Snipe se despenhou nas trincheiras inglesas, de onde os soldados dispararam e afugentaram os Fokkers.
A luta tinha sido presenciada por todos os soldados de ambos os lados e a excitação era enorme. Um caça inglês defrontara 60 inimigos! Conseguiram tirar Barker do Snipe com vida apesar das suas terríveis feridas.
Este foi um dos mais famosos combates aereos da Grande Guerra e ficou conhecido como "One against Sixty".
Barker nunca recuperou totalmente. Perdeu o uso de um dos braços e coxeou até ao fim da vida, sempre em dores constantes.
Pelo que fez no dia 27 de Outubro de 1918, Barker recebeu a Victoria Cross, o mais alto galardão militar do Reino Unido.
Barker morreu em 1930.

Para mais informações visite:
http://www.410wing.cyberus.ca/barkerbio.html



JM

This page is powered by Blogger. Isn't yours?