<$BlogRSDUrl$>

Thursday, February 05, 2004

PERSEU - Parte II 

2ª Parte - A busca de Perseu

Perseu cresceu na ilha de Serifo com a sua mãe na casa de Dictis o pescador e a sua mulher. Dictis era irmão do rei de Serifo, o rei Polidectes. Polidectes havia roubado o trono ao seu irmão e governava como um tirano. Perseu cresceu escondido do rei. Tornou-se um jovem forte e belo. O seu espírito irrequieto e aventureiro faziam-no ansiar por grandes feitos. Ouvia as histórias de Teseu, que matara o Minotauro, e outros heróis, e ambicionava fazer coisas semelhantes.

Ouviu falar da história das Górgonas, os monstros mais temidos da altura ainda vivos. Eram três irmãs, filhas do deus marinho Fórcis e de Ceto. Duas eram imortais e horrendas, mas a terceira, a mais nova, de nome Medusa era mortal e tinha uma face bela. Os seus cabelos eram serpentes e o seu olhar transformava quem o olhasse em pedra. Quando algo era considerado difícil ou irrealizável dizia-se que era tão difícil como matar as Górgonas.

Pela altura em que Perseu fez 16 anos, Polidectes viu Danae e apaixonou-se por ela. No entanto não gostava de Perseu, mas não o podia matar pois o seu povo gostava dele. Fez-se então amigo do rapaz e trouxe-os para o seu palácio. No aniversário do rei, este convidou todos os homens da sua corte para um banquete, tendo também convidado Perseu. Por tradição todos tinham de oferecer um presente, do que de melhor tivessem. Ofereceram gado, ouro, escravos e cavalos. Mas Perseu não trouxera nada pois não possuia nada de valor. Todos gozaram com ele e insultaram-o. Irado Perseu disse-lhes que traria um presente que ninguém conseguiria igualar, a cabeça da Górgona.

Perseu saiu sem dizer mais nada. Foi ter com Dictis e pediu-lhe para proteger a sua mãe enquanto ele estivesse fora. Partiu num navio para o continente , pobremente vestido e vagueou por muito tempo entre caminhantes e pedintes sempre perguntando o caminho para o lar das Górgonas. Visitou oráculos e grutas onde lhe diziam estarem adivinhos que o poderiam ajudar. Disseram-lhe que as Górgonas viviam numa ilha longínqua que ninguém sabia onde era. Depois de muito procurar sentiu-se cansado e desmotivado. Foi então que lhe apareceu a Deusa Atena, uma mulher alta e bela de armadura e grande escudo de bronze. Com ela estava o Deus Hermes com sandálias aladas e espada curva afiada.

(continua)

This page is powered by Blogger. Isn't yours?