<$BlogRSDUrl$>

Wednesday, June 29, 2005

29 de Junho 1918 - Ernst Udet 

Na manhã de 29 de Junho de 1918, o tenente Ernst Udet, líder da esquadrilha de caça nº 4 foi chamado para interceptar um avião de observação françês que dirigia o fogo da artilharia sobre as trincheiras alemãs perto da vila de Villers Cotterets.

Udet descolou no seu caça Fokker DVII, pintado de vermelho com a frase "Du doch nicht!" pintada na asa traseira, querendo dizer a qualquer adversário que se pussesse atrás de si que não seria ele a abatê-lo ainda.

Poucos minutos de descolar, Udet avistou o Breguet françês a uma altitude de 600 metros, voando sobre numerosas e violentas explosões de obuses de artilharia que levantavam uma negra nuvem de poeira.

Udet atacou-o decididamente e com a primeira rajada viu o observador inimigo a cair dentro do cockpit. O piloto inimigo virou para as suas linha tentando escapar.

Udet, pensando ter morto o observador, aproximou-se lateralmente do Breguet para acabar com ele com uma rajada no motor. Um erro crasso, pois o observador não morrera, e, levantando-se no cockpit disparou sobre o Fokker que crivado de balas caíu fora de controlo.

Udet estava vivo e incólume, mas morreria se não conseguisse controlar o seu avião. Após alguns segundos ficou aparente que o Fokker se iria despenhar. Udet afortunadamente usava um primitivo pára-quedas. Até essa data apenas 2 pilotos alemães se haviam salvo por este meio,e não havia certeza que iria funcionar.

Mas Udet não tinha escolha. Saiu do cockpit e atirou-se pra fora do avião. No entanto a força do ar empurrou-o contra a asa traseira do Fokker, onde ficou preso. Udet caía agora juntamente com o seu avião, num abraço mortal.

Desesperadamente, Udet tentou com todas as forças libertar-se, até que a apenas 200 metros do solo conseguiu, e o pára-quedas finalmente abriu-se. A queda foi no entanto violenta, mas Udet apenas sofreu um tornozelo magoado.

De repente explosões caíam á sua volta. A artilharia inimiga visava-o e Udet teve de correr em direcção ás suas linhas para salvar a vida. Mais de uma vez as explosões atiraram-o ao chão, mas Udet conseguia levantar-se e continuar o seu caminho.

Finalmente chegou a uma trincheira alemã onde fumou um cigarro e pediu transporte de volta á base. Nessa tarde voou outra vez, num novo Fokker, e sobrevoou os destroços do seu avião destruído, um esqueleto negro consumido peças chamas, onde ele poderia estar...



O Fokker de Udet é atingido pelo Breguet françês

This page is powered by Blogger. Isn't yours?