<$BlogRSDUrl$>

Saturday, September 17, 2005

A Batalha de Canae 216 a. C. 

A Batalha de Canae(ou Canas em Português) ficou para a história como a maior derrota dos romanos na sua história, uma vitória infligida pelo General cartaginês Aníbal Barcadurantes a Segunda Guerra Púnica.

Cartago era, no Século III a.C. a rival por excelência de Roma, lutando as duas cidades pelo domínio do Mediterrâneo. Situada no Norte de África, na actual Tunísia, Cartago tinha também importantes colónias na Peninsula Ibérica.

Foram três as guerras que travou com Roma que fircaram conhecidas como Guerras Púnicas.

A primeira deu-se devido a uma disputa pelas ilhas da Córsega e da Sicilia e foi vencida por Roma em 264 antes de Cristo.

Mas em 218, o General cartaginês Amílcar(o pai de Aníbal) empreendeu a conquista da peninsula ibérica que teve a oposição dos romanos.


Aníbal decidiu levar no entanto a guerra à Itália e na Primavera desse ano atravessou os Pirinéus e os Alpes...dos 40 mil homens que iniciaram a viagem chegaram a Itália vivos apenas 20 mil.

Nesse Outono derrotou os romanos em várias batalhas em solo italiano. As suas vitórias fizeram com que várias tribos locais se aliassem a ele, e assim o seu exército cresceu para cerca de 60 mil homens.

Em 217 Aníbal atravessou os Apeninos com o seu exército, perdendo um olho durante a viagem, e derrotou um novo exército romano matando o seu comandante o consul Flaminio.

Numa situação desesperada, os romanos abdicaram da democracia e elegeram Fabio Maximo como ditador.

Na Primavera de 216 a.C. o exército cartaginês chegou à localidade de Canae, perto do mar Adriático. Roma reuniu um exército de 80 mil homens para expulsar de vez os invasores comandado pelos consules Paulo Emilio e Marco Terencio.

Em finais de Julho desse ano os dois exércitos encontraram-se em Canae. Os romanos tinham a força do número e da organização, mas Aníbal tinha guerreiros mais experientes e melhor cavalaria o que lhe dava mais mobilidade.

Os romanos decidiram por um ataque frontal, que se deu no dia 2 de Agosto no meio de um grande calor e densas nuvens de pó. A primeira linha de Aníbal contava com guerreiros gauleses e ibéros, ferozes e valentes suportaram a investida romana.

Entretanto a cavalaria cartaginesa comandada por Asdrúbal atacou e derrotou a cavalaria romana.

Os romanos com o peso do número faziam recuar a infantaria gaulesa e ibera...no entanto Aníbal decidiu esperar até que o grosso das tropas romanas estivesse envolvido nesse ataque. Nessa altura mandou a sua cavalaria agora livre atacar pela rectaguarda os romanos, cercando-os completamente. A infantaria cartaginesa de reserva entrou também no combate para apoiar os maltratados gaulaeses e iberos.

Completamente cercados, os romanos foram massacrados, cifrando-se o número de mortos romanos em cerca de 70 mil, a maior derrota romana de sempre!

Esta táctica de envolvimento ficou famosa e é ainda hoje estudada, conhecida como a táctica de Canas.

No entanto Aníbal não aproveitou a sua vitória para conquistar Roma. Cartago Deciciu chamá-lo de volta por não conseguir continuar a apoiar a sua campanha.


A segunda Guerra Púnica terminou em 202 a. C. quando os romanos comandados por Publio Cipiao, derrotaram o exército de Anibal em território cartaginês na Batalha de Zama o que forçou Cartago a assinar a paz e a entregar o controlo do Mediterraneo a Roma.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?